sábado, 16 de agosto de 2014

NO ESCURINHO E NO CLARINHO DO CINEMA

( "Cinema é a melhor diversão."  Será? )

LUZES !

          - Não dê refrigerante para eles, senão vão querer fazer xixi no meio!

          Ansiosa, ela aguarda a hora de entrar no cinema com mais um sobrinho de três anos. Presentes, também, a sobrinha de seis anos e o pai dos dois, irmão dela. Toda a família disse que, com ESSE, ela não conseguiria. É o desligamento em pessoa, ou melhor, em criança. Mundo da lua, dos sol, das estrelas. Tia bastante atuante, seu maior orgulho é de ter introduzido, no mundo cinematográfico, os mais velhos, com a mesma idade de três anos. Assim foi com "Peter Pan", "A Bela e a Fera", "Aladim". Nos momentos em que as histórias ficavam mais monótonas, ela entrava com as explicações que mantinham a atenção do (a) Pirralho (a). Depois, era só correr para o abraço, quer dizer, ir direto para a livraria comprar o livro do filme. Ela, professora, exultava!

          Mas, com ESSE, não foi bem assim...

CÂMERA !

          O filme da vez é "Mulan". Sentados em seus lugares, ela ensina para ele que cinema é uma tela bem grande, com muitas pessoas assistindo e aproveita para dar uma pequena ideia do enredo.

          - Não vou conseguir?! Eles é que pensam! - pensa, confiante.

          Logo em seguida, ele aponta e fala bem alto:

          - Olha, olha!

          - O quê? - pergunta ela, achando que já é efeito dos ensinamentos.

          - Uma meleca!

          Está certo, cinema é festa, tem que limpar o salão. Enfrentando olhares de asco, limpa o dedo dele com um guardanapo de papel. Luzes apagadas, começa a sessão.

          - Tá escuro! Cadê o cinema? - berra ele.

          - Ali, ali. - direciona a cabeça dele para a tela.

          - Cadê a Mulan?

          - Calma, já vai começar.

AÇÃO !

          O filme inicia e as explicações também, mais cedo do que de costume.

          - Por que a Mulan tá chorando?

          - Porque o pai brigou com ela. - sussurra para não incomodar os outros.

          - Ela quem?

          - A MULAN !!! - se impacienta.

          - Xxxxxx ! - pedem os outros.

          Pega ele no colo e explica. Deixa ele despentear o cabelo dela e explica. Tenta antecipar a cena seguinte, cochichando, claro, e explica. Qualquer coisa para não incomodar.

          - Xxxxxx !!!

          O irmão (e PAI!) finge que nem conhece, ao lado da filha. E acusa, rindo:

          - Você é que inventou!

          A culpa é ainda maior por não poder dar atenção à sobrinha. Repentinamente, ele se levanta:

          - Tô de mal com você, eu agora sou amigo do tio Paulinho.

          - Mas o tio Paulinho nem está aqui. Vem cá, vem cá! Olha a Mulan, a espada, a luta, vai vencer!

          - Xxxxxx !!!

THE END !

          Acaba o filme. Aos trancos e barrancos, ela conseguiu! É como ganhar um Oscar pelo desempenho de coadjuvante daquele ator principal mirim.

          - Regina, olhe no espelho, você parece a Medusa.

          O cabelo crespo e volumoso, de tanto que ele mexeu, é uma homenagem ao monstro mitológico, depois de um choque elétrico, além das assustadoras olheiras profundas. Não se incomoda, tamanha a sensação de vitória.

          - Meu amor, você viu tudo!

          E o irmão:

          - Filho, você gostou do filme?

          - Que filme a gente viu?

          Quase arranca o cabelo (estava horrível mesmo!) e chora (para piorar as olheiras). Mas ainda vinha mais.

          - Quer ir ao banheiro? - pergunta o pai.

          - Não. A tia Regina disse que ia comprar o livro para mim.

          A alegria volta e, toda orgulhosa, leva-o à livraria. Ao entrarem, o atencioso vendedor pergunta:

          - O que o senhor deseja?

          - Cocô! - responde ele.

          - À esquerda, lá fora! - mostra o enojado rapaz.

          - Corre, corre!

          Foi por pouco. E, para um final infeliz, vem o pior da história. Hoje, aos dezenove anos, quando a tia conta:

          - Não lembro de nada.

          Apaguem as luzes!!!

         


9 comentários:

  1. Ah ah ah ah!!!!! So voce pra conseguir botar no papel esse episodio hilario e inesquecivel !!!!! Parabens mana. Bjcas da Marcia

    ResponderExcluir
  2. Hahahahaha! Shw Regina! Bjs, Pirralho

    ResponderExcluir
  3. Ótima história, nem me lembrava dela ! rsrsrs
    Bjs, Cris

    ResponderExcluir
  4. AHAHAHAHAHA. Muito boa Tia. Lembro bem dessa, ao contrário do J....rsss

    Bjos Dinho

    ResponderExcluir
  5. Oi, prima querida, aconteceu uma coisa meio estranha. Vim aqui, postei um comentário no Escurinho e no Clarinho do Cinema. Na hora ele apareceu. m
    Mas como esqueci de dizer quem era o Anônimo, voltei agora e meu comentário sumiu . Mistérios !!!! Fiquei triste .
    Eu, sua prima, fã e admiradora,
    Andresa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Blog dá "piti" de vez em qdo. Como nós, né? KKK e bjs

      Excluir
  6. Legal! Estou imaginando a cena! Pura comédia!
    Parabéns pela criatividade!
    Abraços,
    Fátima

    ResponderExcluir
  7. Ehhehheh gosto de como escreves! beijo!

    ResponderExcluir
  8. Rê já conhecia essa aventura, mas relembrar com você escrevendo os detalhes ficou super engraçado! Parabéns pelo conto e pela tia legal e paciente q vc é! Bjs Lena

    ResponderExcluir